Lançada no início deste ano como modelo importado, a S 1000 RR passou a ser fabricada na planta da BMW Motorrad em Manaus (AM). A superesportiva nacional já está sendo oferecida no mercado, com preços que apresentam uma redução de R$ 4 mil em relação aos cobrados pela versão alemã. O modelo custa R$ 72.900 com pintura vermelha ou preta e R$ 75.400 na variante tricolor (vermelha, azul e branca).

A nova BMW S 1000 RR brasileira segue a mesma linha da importada. O motor que equipa a motocicleta consegue entregar 199 cavalos de potência, a 13.500 rpm, e 11,5 kgfm de torque, disponível a partir de 10.500 giros. Devido a melhorias significativas no mapeamento da injeção eletrônica e no comando de válvulas e uma nova geometria dos dutos de admissão, a entrega de potência está mais linear desde as baixas rotações.

O sistema de escape também foi modificado, para expelir os gases com maior eficiência, resultando em um maior aproveitamento da potência. O piloto conta ainda com o auxílio do sistema ride-by-wire, de aceleração eletrônica, que faz com que o acelerador possa ser acionado com mais precisão e leveza, já que não há transmissão mecânica.

Além disso, a BMW S 1000 RR está mais leve, devido ao uso de materiais, resultando em uma perda de 4 kg, totalizando 204 kg em ordem de marcha.

Entre os opcionais, o modelo oferece rodas forjadas de alumínio anodizado, na cor preta, que são 2,4 kg mais leves que as originais e propiciam respostas mais rápidas na condução e maior sensibilidade nas respostas do sistema de suspensão. A versão Full, disponível no Brasil, traz uma série de itens que tornam a condução ainda mais agradável, como controle de tração dinâmica (DTC), riding mode PRO, piloto automático, assistente de troca de marcha PRO, controle de suspensão ativa (DDC), indicador de direção em LED e manoplas aquecidas. 

 
 
 
 
Redação

 

Redação |