Depois de vários adiamentos, o Denatran definiu que a partir de 1º de novembro passará a multar os condutores de ciclomotores, conhecidos também como ‘cinquentinhas’ que não tiverem documentos, seja a CNH ou a ACC, Autorização para Conduzir Ciclomotores.

O valor da multa subiu para R$ 880,41 por se tratar agora de infração gravíssima, em que o valor é três vezes o da multa base, de R$ 293,47.

A aplicação da multa, no entanto, não resolve o dilema em utilizar uma ‘cinquentinha’ no Brasil, que é o baixo custo de aquisição. Populares em regiões mais pobres, os ciclomotores custam pouco e são usados como principal forma de mobilidade para muitas pessoas que não têm muitos recursos.

O problema está justamente no custo da habilitação pela ACC que, embora mais barata que a CNH em alguns casos, pode sair por pelo menos R$ 900, valor de algumas ‘cinquentinhas’ usadas. Caso o condutor ainda opte por adquirir capacetes e algum traje de proteção esse custo torna-se proibitivo mesmo com uma lei mais rígida.

 
 
Autorização para Conduzir Ciclomotores pode sair caro Autorização para Conduzir Ciclomotores pode sair caro
 
 

A regulamentação do mercado de cinquentinhas fez o número de emplacamentos subir nos últimos meses ao incentivar o registro de veículos já usados, mas sem documentação. Esse fenômeno fez com que algumas marcas pouco conhecidas ‘vendessem’ mais que fabricantes mais famosos.

O cerco do Denatram visa reduzir o número de acidentes entre os usuários de ciclomotores, que é bem mais alto que o de motos com motores acima de 50 cm³.

Veja o que é um ciclomotor e como tirar a ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotores).

Ricardo Meier

 

Ricardo Meier |