O Salão Intermot, em Colonia, na Alemanha, marcou a temporada de lançamentos de motos na Europa (que será completado com o EICMA, o Salão de Milão no mês que vem). E uma das grandes novidades que estrearam no evento é a nova geração da GSX-R1000, da Suzuki.

A superesportiva estava há sete anos no mercado e já era aguardada desde 2015 quando a Suzuki mostrou seu conceito justamente no EICMA. A espera parece ter valido a pena: a nova motor, embora parecida no visual, promete muito.

As mudanças foram gerais. A nova esportiva ganhou um motor com quase 1.000 cm³ que chega a 202 cv a 13.200 rpm e atinge 12 kgfm de torque a 10.800 rpm. Agora, ele oferece mais potência final graças a um novo sistema de comando variável de válvulas que manteve o desempenho em médias e baixas rotações.

Como era de se esperar, a nova GSX-R 1000 esbanja tecnologia.Há um sistema de controle de tração com perfil esportivo e uma unidade de medição inercial mais veloz e precisa, capaz de ajustar as condições da moto em milésimos de segundo. A Suzuki também traz três modos de pilotagem, chassi 10% mais leve e freios Brembo que ganharão opção ABS em junho de 2017.

Versão mais esportiva

Além da já impressionantes GSX-R1000, a Suzuki também apresentou a versão mais esportiva, R. Ela traz suspensões da marca Showa além de um sistema ‘Launch Control’ exclusivo, capaz de entregar o máximo de desempenho ao piloto.

Segundo a imprensa europeia, a nova Suzuki GSX-R1000 começará a ser vendida em maio do ano que vem, juntamente com a versão GSX-R1000R. Espera-se que a nova superesportiva chegue ao Brasil no segundo semestre antes do Salão das Duas Rodas.

 
 
 
 
Ricardo Meier

 

Ricardo Meier |