Eis o modelo topo de linha da família MT (Master of Torque) da Yamaha. A montadora japonesa apresentou no Salão de Milão a nova MT-10, que é praticamente uma versão naked da R1. A nova motocicleta será comercializada no mercado europeu a partir do ano que vem e também deverá ser oferecida no Brasil, mas ainda sem data de lançamento prevista.

A nova Yamaha MT-10 é equipada com o mesmo motor de 999 cm³ e quatro cilindros da superesportiva, que recebeu nova tomada de ar, sistema de injeção eletrônica exclusivo e novo escape, visando entregar mais torque em baixa e médias rotações. Dados de potência e torque não foram divulgados, mas naked deverá entregar cerca de 190 cavalos.

Assim como a R1, a MT-10 oferece sistema de controle de tração em três níveis, três modos de pilotagem através do mapeamento de aceleração Yamaha D-Mode (Standard, que oferece um desempenho suave, “A”, que entrega todo o poder do conjunto, e “B”, indicado para dias de chuva e ruas escorregadias), embreagem deslizante, entre outros.

 
 
 
 

Chassi de alumínio, suspensão (Kayaba com garfos invertidos de 43 mm e 120 mm de curso na dianteira e monoamortecida com link tipo Monocross na traseira) e freios (duplos na dianteira, com 320 mm de diâmetro, e simples na traseira, com 220 mm) também são os mesmos em ambos os modelos. A Yamaha oferece ainda tanque de combustível de 17 polegadas.

No visual, a Yamaha MT-10 traz como destaque o conjunto frontal, com faróis e piscas em LED. A lanterna traseira também é em LED. O painel da motocicleta é totalmente digital. 

Redação

 

Redação |