A Harley-Davidson comemora neste ano os 50 anos da Electra Glide, que se posiciona como um dos modelos mais importantes e tradicionais de sua gama. A motocicleta foi responsável por inaugurar o segmento “Grand Touring” no mercado norte-americano e, mesmo meia década após seu lançamento, continua servindo de inspiração para a produção de motos deste tipo no mundo.

Em 1965, a Harley-Davidson Electra Glide foi anunciada em Milwaukee, estado de Wisconsin, se destacando pelo visual diferenciado, marca registrada do modelo até hoje. Pouco tempo após seu lançamento, a motocicleta recebeu um acionador de partida elétrico, já que era cada vez mais difícil dar o pontapé nos grandes motores V-Twin pesando mais de 350 kg.

Além do sistema de partida elétrica, já que eram necessários uma bateria maior e um sistema elétrico de 12V para executar o acionador, o tanque de óleo passou por mudanças. De início, o pedal de partida foi mantido, para as pessoas que tinham dificuldades para se adaptarem as novidades.

No mesmo ano, a Electra Glide ganhou opcionais como saias no para-lama, banco com posição pensada no conforto do piloto, para-brisa e alforjes de fibra de vidro. O modelo oferecia diversas opções para atender às necessidades dos motociclistas, incluindo sistema de silenciadores duplos, além de uma combinação de marcha de mão/embreagem de pé.

 
 
 
 

Já em 1966, a Harley passou a oferecer o motor Shovelhead, que trouxe 10% a mais de potência para o modelo. Três anos depois, a carenagem montada nos garfos (que ficou conhecida como “BatWing”) foi disponibilizada como opcional e, tempo depois, passou a ser mundialmente conhecida e virou sinônimo da marca.

Nas décadas de 1970 e 1980, a Electra Glide adotou freios a disco dianteiro e traseiro hidráulicos, transmissão final por correia e painel do sistema de som montado na carenagem. Esses itens marcaram a chegada da versão Classic do modelo.

Em 1988, foi a vez da FLHS Electra Glide Sport, versão mais ágil e compacta, sem baú traseiro e com para-brisa removível. A FLHR Road King 1994 foi inspirada no design da Electra Glide 1965 original, e a Street Glide de 2006 no icônico modelo Touring. Mais recentemente, em 2009, a Electra Glide e os demais modelos Touring da marca receberam um quadro totalmente novo, com centro de gravidade mais baixo e maior distância entre-eixos.

No Brasil, a Ultra Limited, modelo topo de linha da família, passou a ocupar o lugar da Electra Glide Ultra Classic a partir do modelo 2012. No ano seguinte, a moto ganhou as mudanças do Projeto RushMore, se posicionando como um dos modelos mais vendidos pela Harley-Davidson no Brasil, com direito ao motor Twin Cam 103 High Output Twin Colled, com mais torque em nível intermediário, e freios Reflex com ABS.
 

Redação

 

Redação |