Cagiva voltará como marca de motos elétricas

Tradicional fabricante italiana está fora do mercado desde 2012. MV Agusta, dona da marca, prevê retorno até 2021
Cagiva

Cagiva | Imagem: Reprodução internet

Apesar de ser uma das marcas de motocicletas mais tradicionais da Itália, a Cagiva não produz uma motocicleta sequer desde 2012. Para quem não sabe, o nome da companhia é uma mistura dos nomes do fundador da empresa, Giovanni Castiglioni, e uma referência à cidade de Varese, onde a fabricante começou a operar. Hoje, sob a administração da MV Agusta, a Cagiva deve retornar em breve ao mercado. Mas será bem diferente do que você imagina.

A MV Agusta afirmou que a Cagiva terá um importante papel no futuro do grupo, uma vez que está planejado que a empresa como um todo passe das atuais 3.000 unidades produzidas anualmente para nada menos que 25.000 unidades fabricadas por ano.

O CEO do grupo MV Agusta, Timur Sardarov, afirmou que caberá à Cagiva lançar as primeiras motocicletas elétricas da empresa, tendo foco em um catálogo de produtos acessíveis para para o mercado de mobilidade urbana eletrificada. No entanto, o executivo fez questão de ressaltar que as novidades elétricas da Cagiva serão motocicletas mesmo, não scooters ou patinetes elétricos.

Sardarov afirmou também que a produção de modelos da marca Cagiva deverá retornar ainda em 2020, ou, no máximo, no começo de 2021. O foco dos novos produtos deverá ser modelos com motores de até 4 kW de potência (cerca de 6 cv), pois, para a MV Agusta, dificilmente um produto com mais potência seria lucrativo no atual estado do desenvolvimento da tecnologia de eletrificação.

Cagiva
Cagiva
Imagem: Reprodução internet

Assine a newsletter semanal do AUTOO!