Ducati Multistrada V4 Rally Adventure: longas viagens em primeira classe

Com tanque de 30 litros, nova aventureira italiana traz alta tecnologia e motor de 170 cavalos. Vale os R$ 150 mil? Veja impressões
Ducati Multistrada V4 Rally 2024

Ducati Multistrada V4 Rally 2024 | Imagem: Ducati

A primeira impressão sobre a Ducati Multistrada V4 Rally Adventure assusta: uma moto enorme, com 238 kg (em ordem de marcha) e o tanque imenso de 30 litros. Para um piloto baixo e magro como eu tudo indicava que seria uma dificuldade pilotar em baixa velocidade, especialmente no trânsito urbano. Nada! A exemplo da Multistrada V4S, esta aventureira tem sim tamanho, mas graças à eletrônica é bem fácil de pilotar.

Logo na apresentação ficamos sabendo das novidades em relação à Multistrada versão “civil”. O para-brisa está mais alto (4cm) e mais largo (2 cm) e pode ser ajustado facilmente com apenas uma das mãos, mesmo com a moto em movimento. Por que não usam sistema eletrônico? Porque a pressão do vento no para-brisa trava o deslizamento. Este sistema manual pode ser operado até a 120 km/h. 

Suspensões com 30 mm a mais de curso na frente e 20 mm a mais atrás. Isso fez a belezura ficar mais alta. Além disso, a mudança na bomba do freio traseiro liberou mais espaço livre ao solo. 

Na eletrônica o programa ganhou uma nova categoria “Enduro”, também customizável de acordo com o gosto do freguês. E, pra completar, um sistema que “desliga” os dois cilindros traseiros em baixa rotação para reduzir consumo, emissões e, importante, a transferência de calor para o piloto.

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Tite Simões com a nova Ducati Multistrada V4 Rally
Imagem: Ducati

Primeiras impressões

Nosso roteiro começou no trânsito intenso da região de Alphaville, em São Paulo. Foi bom ter iniciado nessa condição para testar o modo “Urban” do mapeamento eletrônico e a atuação do sistema “start-stop” dos cilindros. Posso afirmar: funciona! E dá pra perceber quando o motor trabalha com dois ou quatro cilindros. Sinceramente, ainda transfere muito calor do motor para o piloto, mas convenhamos, não existe mágica na engenharia: motor que libera 170 cavalos vai gerar calor mesmo.

Para amenizar essa sensação, as aletas colocadas ao lado da carenagem podem direcionar o ar para as pernas do piloto. Pernas e regiões adjacentes que costumam sofrer no calor. 

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Imagem: Ducati

Motor

Ah esse motor V4 derivado da esportiva Panigale, que por sua vez bebeu na fonte das motos de MotoGP. Uma big trail com motor V4 merece todo respeito. Rodar em baixa velocidade no congestionamento urbano é quase uma ofensa. Graças à eletrônica é possível rodar em baixa velocidade sem tantas trocas de marchas. Certamente o habitat dessa moto é estrada, tanto que a campanha publicitária na Itália a trata de “Globetrotter” (algo como “viajante do mundo”). Por isso a rodovia Castelo Branco se apresentou como uma benção!

Finalmente sexta marcha, a 120 km/h e o conta-giros mostra 4.900 RPM, o que indica uma característica adorável de motor dócil, que apresenta baixo nível de vibração (só perceptível nas manoplas e pedaleiras, quando desacelera) e rodagem tão suave que parece flutuar no asfalto. Outro teste foi deixar a rotação cair o máximo em sexta-marcha e a surpresa foi ver que é capaz de retomar praticamente desde a marcha-lenta a pouco mais de 2.000 RPM. Mostra que o motor é “elástico”, que permite rodar muito sem recorrer tanto ao câmbio.

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Imagem: Ducati

E se precisasse trocar muitas marchas nem seria um problema, porque o câmbio conta com quick-shifter nos dois sentidos e as trocas são feitas sem uso da manete de embreagem. 

Depois de um trecho de estrada larga, pegamos a já conhecidíssima Estrada dos Romeiros, uma sequência de curvas que serpenteia entre São Paulo e Itu. Nesta sequência foi possível avaliar o desempenho com o mapeamento eletrônico na posição Sport. A cada mapa muda não apenas a potência, mas ajuste de suspensão, ABS, controle de tração, entre outros. 

A primeira boa notícia é o desempenho dos pneus Pirelli Scorpion Trail II, que deixam o piloto muito à vontade para frear no limite e deitar a moto até quase raspar as malas laterais!  Neste trecho ficou evidente que um motor V4 derivado de competição é puro prazer pra quem pilota. Quando o conta-giros passa de 6.000 RPM o ronco do escapamento muda e parece mesmo um urro de animal raivoso... no cio!

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Imagem: Ducati

Com a presença de outro jornalista com currículo de piloto de motovelocidade no grupo, tivemos uma amostra de um Pike Peaks tupiniquim. Os freios Brembo ABS das esportivas Ducati Panigale são do tipo “cornering”, que permite frear o dianteiro com a moto inclinada. Na versão Multistrada o ABS atua de forma convencional. Isto me custou uma escapada sem gravidade!

Multistrada no off-road

Depois desta sessão insana de frenagens e curvas, chegamos a um pequeno trecho de terra. Pequeno, porém desafiador, porque sem cair uma gota de chuva em cinco semanas, o que era terra virou um talco com tanta poeira que não dava pra ver nada além do para-brisa.

Com o mapa na opção “Enduro” o ABS deixa de atuar na roda traseira – derrapagens são necessárias na terra – e o controle de tração fica mais permissivo, garantindo a emoção extra. Confesso que não fiquei à vontade com os pneus calibrados para o asfalto, mas fui assim mesmo. Eu e toda a comitiva de jornalistas/influencers, alguns com pouca experiência no fora-de-estrada, mas todos saíram ilesos. 

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Imagem: Ducati

Pensando na pilotagem em pé, as pedaleiras têm uma proteção de borracha que achata com o peso do piloto e permite alcançar as ranhuras de metal. Mas pode-se arrancar esta borracha e colocar depois, sem uso de ferramenta. Também o pedal de freio se ajusta facilmente num sistema giratório para controlar a frenagem com o piloto em pé.

É muito gratificante levar quase 300 kg de moto (mais piloto) para um passeio off sem achar que vai despencar a cada erosão. Na opção Enduro, a suspensão torna-se tão adaptada ao terreno que dá mesmo a impressão de estar pilotando uma moto bem mais leve. As rodas raiadas (pneus tubeless) com aro 19 na dianteira. 

Minha preocupação maior era com o tanque, porque parece um elefante! mas o aumento de capacidade foi conseguido aumentando a altura e não interfere para pilotar em pé. Teve momentos que pensei estar em uma moto bem menor.

Panigale versão SUV

Feitas as imagens, voltamos para o asfalto para mais alguns quilômetros de curvas insanas. Esqueci de voltar o mapa para a posição Sport e nas primeiras curvas achei tudo muito estranho, porque a moto afundou demais nas frenagens e balançou loucamente. Feita a correção (o mapa só muda com a moto em movimento se o piloto desacelerar) voltou a ser uma Panigale versão SUV.

Nosso roteiro encerrou com mais um trecho de estrada, onde aproveitei para acelerar de verdade e ver o velocímetro chegar a 212 km/h, com muito acelerador de sobra. 

Em suma, esta Ducati é a resposta para quem quer chegar muito rapidamente ao Atacama ou à Patagônia. Porque além de tudo é tremendamente confortável para piloto e garupa, que desfruta ainda de banco aquecido e até regulagem para afastar ou aproximar do piloto. 

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Imagem: Ducati

Também o piloto tem suas facilidades, como a regulagem de altura do banco (além de opção por um kit de rebaixamento), o compartimento para celular (arrefecido), aquecedor de manoplas e um item que fiquei apaixonado: o easy lift! Trata-se de um sistema acionado pelo botão no punho esquerdo que abaixa a suspensão da moto e facilita muito para tirar e colocar do cavalete lateral e central.

A exemplo da versão mais “on”, esta Multistrada também tem o sistema de radar, que percebe a aproximação de outro veículo, freando sozinha, e o detector de ponto cego nos espelhos retrovisores. Tudo isso, junto com a chave presencial, o painel com várias configurações e muita eletrônica embarcada é resultado da “automobilização” das motos, que estão cada vez mais próximas dos carros.

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Imagem: Ducati

E se você é do tipo que gosta de perguntar sobre consumo, uma dica: esqueça, nenhum motor com tanta potência e 12,5 kg de torque vai poupar seu bolso. Mas surpreendentemente fiz médias de 17 km/litro, sem a menor preocupação com consumo. Se o piloto for parcimonioso, com este tanque de 30 litros pode fazer até 600 km de autonomia.

Sempre deixo a parte triste pro fim: o preço na concessionária é de R$ 149.990. Portanto, faça seu dinheiro render felicidade e boa viagem porque a Patagônia tá logo ali.

Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Ducati Multistrada V4 Rally 2024
Imagem: Ducati

Siga o MOTOO nas redes: WhatsApp | Instagram | LinkedIn | Youtube | Facebook | TikTok | Twitter

MAIS DO MUNDO MOTO

Tudo sobre a Ducati Multistrada V4 Rally

Ducati Multistrada V4 Rally

Vitrine de acessórios

Powered by Tutto Motos