A Harley-Davidson apresenta nesta semana mais detalhes sobre seu plano estratégico até 2022, chamado pela empresa de More Roads to Harley-Davidson. Ainda de acordo com a tradicional fabricante norte-americana, “essas ações apoiam os objetivos da Harley-Davidson para 2027, com maior foco e investimento estratégico para revigorar os negócios nos EUA e, ao mesmo tempo, acelerar o ritmo de crescimento internacional”.

De uma forma geral, as novas diretrizes da Harley-Davidson contempla não só o desenvolvimento de novos produtos, como também a criação de novas formas de relacionamentos com os clientes e promover concessionárias melhores para a experiência do consumidor e mais saudáveis do ponto de vista financeiro.

Indo para um assunto bem relevante para o público, em especial para quem sonha com um produto mais acessível dentro da Harley-Davidson, a empresa confirmou o desenvolvimento de uma moto mais acessível com menor cilindrada (entre 250 cm³ e 500 cm³) para os mercados emergentes asiáticos, através de uma aliança estratégica planejada com um fabricante na Ásia. Este novo produto e uma distribuição mais ampla destina-se a impulsionar o crescimento e o acesso de clientes à Harley-Davidson na Índia, um dos maiores mercados em crescimento no mundo, além de outros mercados da Ásia.

Outro ponto de destaque é que a marca vai lançar sua primeira motocicleta Adventure Touring, no caso a Harley-Davidson Pan America 1250. A ela também se juntarão um modelo 1250 cm³ de estilo Custom e outro modelo de 975 cm³ e proposta Streetfighter. Todos serão lançados a partir de 2020. Modelos adicionais para ampliar a cobertura nesses espaços de produtos seguirão até 2022.

Seguindo uma tendência muito forte também no mundo dos carros de passeio, a empresa prepara o lançamento da primeira Harley-Davidson elétrica, a LiveWire, em 2019. Ela será a primeira em um portfólio amplo de veículos elétricos de duas rodas e sem embreagem, projetados para estabelecer a empresa como líder na eletrificação sobre 2 rodas. A LiveWire será seguida por modelos adicionais até 2022, ampliando o portfólio com opções de produtos mais leves, menores e ainda mais acessíveis para inspirar novos pilotos com novas maneiras de pilotar, explica a marca.

 
 
Acima o protótipo da Harley-Davidson Pan America 1250, que deve ser lançada em 2020
 
Acima o protótipo da Harley-Davidson Pan America 1250, que deve ser lançada em 2020
Acima o protótipo da Harley-Davidson Pan America 1250, que deve ser lançada em 2020
Acima a motocicleta elétrica da Harley-Davidson, a LiveWire
 
Acima a motocicleta elétrica da Harley-Davidson, a LiveWire
Acima a motocicleta elétrica da Harley-Davidson, a LiveWire
Protótipo da Streetfighter de 975 cmó que faz parte da nova plataforma modular de motocicletas da Harley-Davidson
 
Protótipo da Streetfighter de 975 cmó que faz parte da nova plataforma modular de motocicletas da Harley-Davidson
Protótipo da Streetfighter de 975 cmó que faz parte da nova plataforma modular de motocicletas da Harley-Davidson
Conceito da nova custom da Harley-Davidson de 1250 cmó que deve ser lançada em 2021
 
Conceito da nova custom da Harley-Davidson de 1250 cmó que deve ser lançada em 2021
Conceito da nova custom da Harley-Davidson de 1250 cmó que deve ser lançada em 2021
 
 
José Luiz Lazzari

 

José Luiz Lazzari |