A Honda CRF 100L Africa Twin ainda é um dos xodós da marca japonesa pelo mundo. Grande, bonita, pronta para atravessar o mundo e com muito do estilo de sua antecessora que marcou uma geração, a aventureira faz a cabeça de muita gente que tem o sonho de atravessar países em duas rodas.

Porém, há um movimento esperado para este modelo. É que, ao contrário do Brasil, onde a carteira de habilitação é válida para qualquer tipo de moto, seja uma 50 cc ou uma 1.200 cc, na Europa é preciso subir degraus. Lá, na categoria A2, a mais comum, não é permitido pilotar modelos com mais de 46 cv – e a Africa tem 90 cv -, e você ainda precisa ter mais do que 19 anos. Ou seja: a Honda não pode ser pilotada por jovens.

Kenji Mota, chefe de projetos da Africa Twin, falou ao site internacional MCN que, sim, a Honda estuda lançar uma versão menor da aventureira. Olhando para o que há disponível no line-up da marca, é possível pensar que uma versão com motor de 750 cc, o mesmo usado na NC 750X e no scooter aventureiro X-ADV, seja o caminho mais fácil.

Essa moto teria poder para brigar com modelos como Triumph Tiger 800, Yamaha Ténéré 700 (que ainda não chegou por aqui) e KTM 790, todas aventureiras de médio porte, permitidas para os jovens europeus e, claro, liberadas por aqui.
 

 
 
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
 
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
 
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
 
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
 
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
Honda CRF 1000L Africa Twin 2016
 
 
Redação

 

Redação |