Moto elétrica com conceito inovador quer superar 400 km/h

Criada pela empresa britânica White Motorcycle, a WMC250EV utiliza um duto de ar capaz de reduzir o arrasto aerodinâmico em até 70%
A WMC250EV em Silverstone: meta de chegar aos 400 km/h

A WMC250EV em Silverstone: meta de chegar aos 400 km/h | Imagem: White Mototcycles

Encontrar o compromisso ideal entre potência e aerodinâmica para atingir velocidades altíssimas é assim por dizer algo “mágico”. Qualquer veículo terrestre precisa conciliar a exata dose de tração, potência, peso e baixo arrasto para que seja possível obter uma aceleração suficiente para levar esses bólidos até os limites possíveis.

Se estamos falando de motocicletas, o desafio é ainda maior. Se são beneficiadas pelo peso leve, as motos sofrem por não conseguirem produzir um “downforce” semelhante ao dos carros. Mas parece que um engenheiro britânico, com larga experiência de competições como a Fórmula 1, encontrou uma forma de quebrar essa barreira.

Rob White, fundador da White Motorcycles Concept, apresentou nesta semana a WMC250EV, uma moto equipada com dois motores elétricos em cada roda e que pretende atingir 400 km/h.

Numa primeira observação da moto já é possível deduzir que o excesso de carenagens e posição de pilotar praticamente deitada fazem parte do esforço para torná-la o mais aerodinâmica possível, mas um dos segredos da White está ligeiramente escondido, o V-Air.

Trata-se de um túnel que atravessa toda a estrutura da moto e que faz o papel de um aerofólio. Além de reduzir a área frontal da moto, o duto é capaz de ampliar a carga na dianteira em cinco vezes. Isso tornou possível, inclusive, o uso de frenagem regenerativa, algo complicado de obter em motos.

Segundo o criador do modelo, uma Suzuki Hayabusa possui um coeficiente aerodinâmico de 0,35 a 0,36 e em simulações alcançamos um coeficiente de apenas 0,11. Essa é uma redução significativa no arrasto”.

O duto de ar no centro da WMC250EV
O duto de ar no centro da WMC250EV
Imagem: White Mototcycles

Em busca dos 400 km/h

Apesar da posição estranha de pilotagem, a moto tem altura do assento similar a uma Yamaha R6, garante o britânico.

A WMC250EV tem no momento 134 cv disponíveis, mas a empresa deverá ampliar essa potência à medida que o projeto seja desenvolvido.

White quer colocar a moto elétrica na pista ainda em 2021 para quebrar o recorde britânico de velocidade, de 320 km/h obtido no ano passado. Já superar a marca de 367 km/h obtida pelo ex-piloto de MotoGP Max Biaggi com a moto elétrica Voxan Wattman será uma tarefa mais complicada.

Antes de chegar às planícies de um deserto na Bolívia, a moto elétrica deverá contar com mais potência e aprimoramentos. A meta? Ultrapassar os 400 km/h.