Não é só no Brasil: vendas de motos disparam na Europa

Dados de agosto para o Velho Continente apontam para a comercialização de mais de 1 milhão de unidades na região
Honda Forza 750 2021

Honda Forza 750 2021 | Imagem: Divulgação

Até setembro, o mercado brasileiro vem mostrando uma considerável recuperação nas vendas de motocicletas 0km após os efeitos da quarentena terem forçado a suspensão da produção de unidades no segundo trimestre de 2020. Apesar do crescimento mês a mês, o acumulado deste ano ainda é inferior ao registrado em 2019. Com isso, 2020 deve se encerrar com retração.

Na Europa, por outro lado, os números são mais positivos. Levantamento da consultoria MotorCyclesData apontou que, só em agosto, a venda de motos avançou 29% na comparação com o mês anterior. No acumulado de 2020 até agosto, o continente europeu já registrou a comercialização de 1.057.945 unidades, anulando a retração do período de março a maio e praticamente igualando o desempenho do setor com o do mesmo período de 2019.

Saiba mais: em setembro, Honda CG 160 passou das 30 mil unidades vendidas

De acordo com a consultoria, esse volume é resultado direto do relaxamento das medidas de isolamento estabelecidas pelos países europeus, que geraram um aumento no continente pela procura de meios de transportes individuais. Ao contrário do Brasil, o uso da motocicleta é quase que exclusivamente recreativo nos países mais frios, sendo mais demandadas apenas em períodos fora do rigoroso inverno do continente. Neste ano, porém, o crescimento foi geral.

BMW apresentou um facelift para a R 1250 RT na Europa
Uso da motocicleta na Europa é mais recreativo
Imagem: Divulgação

Enquanto isso, no Brasil, os emplacamentos em setembro acumularam um total de 99.623 unidades. Na comparação com agosto, que registrou 96.004 unidades, o crescimento foi de 3,77%. Mesmo com retração de 20,78% na comparação entre janeiro e setembro de 2020 (631.081 unidades) com igual período de 2019 (796.599 unidades), o segmento de duas rodas, junto ao de comerciais leves, é um dos únicos a ter mostrado crescimento no mês passado.

Além da maior escolha do público por opções individuais de mobilidade em substituição ao transporte público, a quarentena também elevou a demanda por serviços de entregas, o que também ajudou a aumentar a procura por motos novas e usadas. A empresa de inteligência de aplicativos para celulares RankMyApp apontou que, em março, logo no início da pandemia no Brasil, houve um aumento de 212,7% no total de downloads de aplicativos para profissionais de entrega.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!