PCX ou NMax: qual é o scooter mais vendido do Brasil em 2020?

Número acumulado de vendas do primeiro semestre do ano mostra que disputa entre Honda e Yamaha é mais acirrada
Scooter

Scooter | Imagem: Divulgação

Você já acompanhou aqui no Motoo que o mercado de motocicletas 0 km viu as vendas crescerem 57% em junho na comparação com maio. No entanto, o acumulado do primeiro semestre de 2020 apontou que o total de emplacamentos de motocicletas novas chegou a 350.290 unidades, número 33,93% inferior às 530.152 unidades registradas em igual período de 2019.

Com vendas concentradas em grandes centros e tendo um público de perfil mais urbano que busca soluções alternativas de mobilidade, o segmento de scooters sofreu nos primeiros meses de quarentena, mas vem aos poucos se recuperando. Dentro desse importante segmento, você sabe quais foram os modelos mais vendidos do Brasil em 2020 considerando o acumulado do primeiro semestre do ano?

Primeiro, vale ressaltar que a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) mescla o ranking de scooters com as CUB, como a Honda Biz, que serão desconsideradas nessa lista. Olhando puramente para os veículos de duas rodas com câmbio automático, a liderança continua com a Honda.

O scooter mais vendido do Brasil em 2020 até agora foi o Honda PCX 150, tendo acumulado 11.421 unidades emplacadas entre janeiro e junho deste ano. O segundo colocado é outro modelo da Honda: o Elite 125, com 6.516 unidades comercializadas no período e ficando com a medalha de prata na categoria.

Com 5.451 unidades, o Yamaha NMax 160 é o primeiro modelo da marca dos três diapasões no ranking e fecha o pódio. O modelo é seguido por outro Yamaha, o NEO 125 (4.386 unidades). A comparação entre os scooters de Honda e Yamaha mostra que a primeira mantém mais uma vez uma larga vantagem.

No entanto, entre os scooters ao menos, a liderança da Honda não tem uma margem tão grande quanto em outras categorias. Considerando o segmento de street, por exemplo, onde a Honda CG 160 lidera com 96.720 unidades no período, o modelo foi 10,2 vezes mais vendido que a Yamaha mais próxima: a Fazer 250 (9.405 unidades).

Olhando especificamente o segmento dos scooters, o Honda PCX vendeu 2,1 vezes mais que o Yamaha NMax, mostrando que a disputa nesse mercado é maior. Além disso, o Yamaha XMax 250 já superou o Dafra Citycom 300i entre os modelos de maior capacidade cúbica.

Veja os scooters mais vendidos do Brasil entre janeiro e junho de 2020

1) Honda PCX 150 - 11.421 unidades
2) Honda Elite 125 - 6.516 unidades
3) Yamaha NMax 160 - 5.451 unidades
4) Yamaha NEO 125 - 4.386 unidades
5) Honda SH 150 - 1.360 unidades
6) Haojue Lindy 125 - 593 unidades
7) Yamaha XMax 250 - 551 unidades

Assine a newsletter semanal do AUTOO!