Scooter ou Moto? Entenda as diferenças e veja qual é melhor para você

Nascidas com propostas diferentes, estilos de motocicletas atendem a necessidades bastante distintas
Motos e scooters trazem vantagens e desvantagens

Motos e scooters trazem vantagens e desvantagens | Imagem: Autoo

Não é mais segredo que o segmento de scooters está crescendo nos últimos anos. Tais modelos já são vista comum nos rankings de emplacamentos. No entanto, as motocicletas convencionais permanecem vendendo bem mais. Daí surge a dúvida: qual é a melhor pra você, scooter ou não?

Separamos uma relação ponto a ponto onde os dois tipos de moto se diferenciam ou se equiparam, levando em consideração um cenário de mobilidade urbana. Os scooters nasceram para esse tipo de uso, mas não significa que eles terão sempre a vantagem, ainda mais em nossas ruas mal cuidadas. Para a comparação, levamos em consideração modelos com cilindrada e preços similares.

Proteção dos elementos

Aqui a vantagem é claramente dos scooters. Sem corrente e com amplos escudos frontais, eles protegem mais o piloto do que as motos convencionais. E não é apenas na chuva. Mesmo em poças de água ou pistas mais sujas, os scooters conseguem fazer com que você chegue mais limpo ao destino. Além disso, geralmente automáticos, também não deixam marcas da alavanca de câmbio no sapato.

Câmbio

Aí vai de sua preferência. Os scooters em grande parte trazem câmbios automáticos do tipo CVT, de relações continuamente variáveis. Não buscam o engajamento na condução e não há muito o que piloto possa fazer além de acelerar e brecar, mas são mais eficientes. No entanto, se você quer controle total e tirar um maior desempenho do motor, a moto convencional com transmissão mecânica é mais indicada.

Ergonomia e conforto

A suspensão dianteira é invertida, com regulagens. Os freios a disco contam com ABS
Rodas maiores e suspensões com mais amortecimento são as vantagens das motos
Imagem: Tite Simões

Essa é uma das diferenças fundamentais entre as motos e os scooters. Nas primeiras, você anda montado, como num cavalo. Nos segundos, a posição é sentada, como em uma cadeira. Em termos de conforto, a vantagem é do scooter, mas são mais difíceis de “domar” em curvas, principalmente em velocidades mais altas, exatamente por não terem ponto de contato das pernas com a moto.

Então, quanto maior for seu trajeto urbano, mais o scooter faria sentido. No entanto, leve em consideração que esse tipo de moto tem rodas menores e suspensões com menos curso, então sofrem na buraqueira. Já as convencionais, com rodas maiores e mais amortecimento, encaram melhor as vias mal pavimentadas.
Desempenho e consumo

Considerando motos com a mesma capacidade cúbica, os scooters levam uma pequena vantagem. Ela vem do uso do câmbio CVT, que sempre mantém o motor na faixa de rotação mais eficiente, seja para o consumo ou para performance. No entanto, a diferença em ambos os casos não é muito grande.

Manutenção

No uso diário, o scooter requer ainda menos manutenção que uma moto normal. Com câmbio automático e sem corrente, não há ajustes ou lubrificações para serem feitas. Porém, de tempos em tempos, as montadoras recomendam manutenções preventivas no câmbio CVT, que podem envolver desde uma simples limpeza até a troca das correias e dos rolamentos da transmissão.

Espaço para bagagem

Honda SH150i 2018
Scooters são mais práticos na hora de acomodar bagagens
Imagem: Divulgação

Aqui, não tem jeito. Se você quer uma moto com espaço adequado para levar as suas coisas, o scooter é a melhor opção. Em sua grande maioria, já trazem fartos bagageiros sob o assento e alguns porta-trecos no escudo frontal. Em uma moto convencional, é necessário recorrer aos bauletos, que nem sempre agregam ao visual.

Preço

Por via de regra, os scooters cobram a mais pela comodidade, mas também trazem mais equipamentos. Um exemplo é a Honda CG 160 Fan e o Honda PCX 150 CBS. Ambos possuem freios combinados e rodas de liga leve. Porém, o scooter traz ainda start/stop e iluminação de LED. A primeira custa R$ 11.200, enquanto a segunda sai por R$ 12.710.

Conclusão

No final das contas, o scooter é uma escolha mais prática. Anda bem, tem economia e espaço para suas coisas, além de não pedir que você fique trocando de marcha a todo momento. No entanto, tirando modelos de maior cilindrada (como o Honda X-ADV), seu uso é mais recomendado em ambientes urbanos e vias bem pavimentadas. Do contrário, a moto convencional é mais indicada, apesar das desvantagens.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!