Mesmo não tendo números de venda expressivos, nos chamou a atenção durante nossa avaliação da Dafra Apache RTR 200 os constantes questionamentos sobre seu desempenho e comentários positivos relacionado à nova Apache que ouvimos do público em geral. O Motoo rodou com a moto pelas ruas de São Paulo por uma semana e relata abaixo nossas conclusões:

Motor

O novo motor monocilíndrico de 197 cc entrega 21 cv de potência máxima (a 8.500 rpm) e torque de 1,85 kgfm (aos 6.500 rpm), entregando desempenho bastante satisfatório para uma motocicleta desta categoria. A street acelera sem trancos e linearmente, com um ronco diferenciado que chama a atenção. Ela se destaca no meio das inúmeras motos que ficam aguardando a abertura dos semáforos. A aceleração e as retomadas são confiáveis, facilitando as ultrapassagens, mesmo com a presença de garupa. O câmbio de 5 velocidades oferece trocas macias e suaves. A partir da 3ª marcha notamos um escalonamento mais longo, o que ajuda na economia de combustível, porém, no uso urbano, exige trocas mais constantes. Na estrada a motocicleta da Dafra apresentou resultado melhor que o esperado. Quanto ao consumo, na estrada a melhor performance foi de 37,8 km/l e, na cidade, a pior marca foi de 30,7 km/l. Com um tanque com capacidade para 12 litros, a autonomia fica próxima dos 400 km.

Suspensão

O conjunto de suspensão é bastante firme e conta com o sistema Slippery Clutch encontrado em motos de maior cilindrada. Trata-se de um sistema deslizante que evita o travamento das rodas traseiras em reduções de marcha, recurso que deixa a Apache mais agressiva e esportiva, porém com um rodas mais rígido. Na dianteira a street conta com suspensão telescópica de 117 mm e, na traseira, braço oscilante monoamortecido com 105 mm. Para enfrentar as lombadas e os buracos que surgem a todo instante na nossa cidade, se mostrou eficiente e com certo conforto. A altura em relação ao solo (180 mm) dificilmente faz com que a parte inferior da moto entre em contato com o piso.

Freios/Pneus

O sistema de freios composto por disco único dianteiro de 270 mm e traseiro de 240 mm com sistema FH-CBS (freios combinados) são eficientes e respondem bem quando exigidos, o que garante uma pilotagem sem grandes sustos. Possui pneus sem câmera, dianteiro 90/90-17 e traseiro 130/70-17, calçando rodas de liga leve com design que agrada.

Design

O visual é destaque garantido. Os bancos bipartidos contam com espuma firme e um bom formato. Motor, escapamento esportivo e as pedaleiras deslocadas mais para trás assim como o desenho do tanque formam um conjunto bastante harmônico, que agrada e chama atenção. O painel é todo digital e completo, oferecendo uma série de informações incluindo o indicador da marcha selecionada, o que consideramos bastante útil.

Ciclística

A Apache 200 com 139 kg, é fácil de pilotar e bastante ágil. No uso urbano ela trafega pelos corredores com facilidade e é rápida nas mudanças de direção. A posição de pilotagem, por ser mais agressiva, é relativamente confortável. Depois de algumas horas no trânsito intenso é possível sentir algum incômodo.

Banco do garupa: nota 7

“O banco está bem posicionado e não deixa você deslizar sobre o piloto, mas é pequeno e duro. As pedaleiras um pouco altas obrigam paradas para esticar as pernas. Nos trajetos curtos vai bem, mas em trechos maiores incomoda e cansa” - Opinião de Alessandra Lazzari

A Apache 200 tem o preço sugerido de R$ 12.790,00 na cor vermelha fosca ou preta brilhante. Se fizermos um comparativo de custo beneficio, vamos encontrar concorrentes com preço semelhante, mas entre 150 cc e 160 cc, portanto vale analisar bem e colocar a Dafra Apache RTR 200 como uma forte opção na hora da decisão de compra.

Ficha técnica

Motor: monocilíndrico, 4 tempos, SOHC, balanceado, embreagem antitravamento, refrigeração a ar, injeção eletrônica
Cilindrada: 197,75 cm³
Potência Máxima: 21,02 cv a 8.500 rpm
Torque máximo: 1,85 kgfm a 6.500 rpm
Transmissão: 5 marchas
Altura: 1.105 mm
Largura: 790 mm
Comprimento: 2.050 mm
Distância entre eixos: 1.353 mm
Altura mínima do solo: 180 mm
Altura do banco: 800 mm
Peso seco: 139 kg
Suspensão dianteira: telescópica - 117 mm
Suspensão traseira: braço oscilante, monoamortecida - 105 mm
Freio dianteiro: disco 270mm
Freio traseiro: disco 240mm
Rodas: liga leve de aro 17”
Pneu dianteiro: 90/90-17 sem câmara
Pneu traseiro: 130/70-17 sem câmara
Sistema de partida: elétrica
Capacidade do tanque de combustível: 12 l
Ignição: elétrica
Cores: Vermelha fosca e preta brilhante
Chassi: Berço duplo dividido
Freios: FH-CBS
Lanterna: LED

Experiente motocicista há mais de 30 anos, José Luiz é um designer amante das duas rodas e colabora com suas avaliações no Motoo

José Luiz Lazzari | http://www.jlldesign.com.br/

Veja mais notícias da marca