Hoje em dia a maioria das motos de maior cilindrada contam com ótimas avaliações nas estradas, onde são seguras, sobram em desempenho e contam com uma vasta parafernália eletrônica, que, além de inúmeras possibilidades de pilotagem, corrigem possíveis falhas de seus condutores.

Durante nossa avaliação, a CB 1000R não ficou devendo em nada para a concorrência, como veremos seguir, mas foi no uso diário que ela mostrou como é uma moto diferenciada.

Seu motor tipo DOCH (duplo comando de válvulas no cabeçote) conta com quatro cilindros e 998,4 cm3 de deslocamento, com uma potência máxima de 141,4 cv a 10.500 rpm. Ele destaca-se por ser extremamente compacto, o que possibilitou criar uma moto bastante leve para a categoria (199 kg).

A CB 1000R é ágil e fácil de pilotar. Ela é rápida nas mudanças de direção, o motor entrega boas respostas mesmo em baixas rotações, pedindo poucas mudanças de marcha também graças ao torque máximo de 10,2 kgfm. O câmbio de 6 velocidades tem embreagem deslizante, tecnologia que previne a perda de controle da roda traseira nas reduções. Tudo isto deixa a moto muito segura e agradável para o uso diário.

A ciclística agradou bastante. As pernas envolvem bem o tanque a CB 1000R mostra uma boa distribuição de peso. A distância entre-eixos de 145 cm faz com que você sinta a moto na mão, dando muita segurança na pilotagem. A sensação é de que você está pilotando um moto menor, porém ao girar o acelerador ela responde de imediato e pede sempre mais.

A CB 1000R vem com acelerador eletrônico TBW (Throttle By Wire), que tem a função de administrar a entrega de potência e oferece ao piloto quatro modos de controle, sendo três pré-configurados: Rain (baixo nível de potência, nível intermediário de freio motor e tração elevada), Standard (potência, freio motor e tração em nível intermediário) e Sport (potência máxima com freio motor e tração em nível baixo) e a opção User que possibilita ao piloto determinar cada um dos parâmetros, além de desligar o controle de tração. Toda esta tecnologia garante segurança e corrige a pilotagem.

O painel é totalmente digital, completo e multicolor (tem velocímetro, nível de combustível, relógio, temperatura externa e do arrefecimento do motor, computador de bordo, consumo médio e instantâneo, indicadores de nível de potência, freio motor e controle de tração), com dois destaques muito interessantes, sendo conta-giros redondo e a presença do marcador de marcha bem visível.

Os freios atendem muito bem a potência que a moto entrega, com dois discos flutuantes na dianteira de 310 mm e único na traseira de 256 mm. Pneus na medida certa, não muito largos, 120/70/ZR 17 na frente e 190/55ZR 17 atrás facilitam muito as manobras em velocidade reduzida.

As suspensões são totalmente reguláveis do tipo SFF (Separate Function Front Fork), mostraram ser macias e seguras mesmo para os pisos irregulares, muito comum nas nossas cidades.

Como falamos, o destaque para o Motoo envolvendo a CB 1000R é a praticidade para uso diário, uma vez que ela é fácil de pilotar, leve e enfrenta o trânsito intenso sem cansar. De sobra ela ainda proporciona muita adrenalina, emoção e satisfação com a potência que entrega.

A opção de cores são, Preto e Vermelho Perolizado e o preço sugerido R$ 60.900. A naked conta com 3 anos de garantia e cobertura, além do Brasil, para o Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.

Banco do garupa - Nota 6
“Não tenho muito para falar, é uma moto solo, até é possível uma carona curta, nada mais do que isso”, opinião de Alessandra B. Lazzari.

 
 
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
Honda CB 1000R 2019
Honda CB 1000R 2019
 
 

Ficha Técnica

MOTOR
Tipo: DOHC, Quatro cilindros, 4 tempos, refrigeração líquida.
Cilindrada: 998,4 cc
Potência Máxima: 141,4 CV a 10500 rpm
Torque Máximo: 100 N.m a 8000 rpm
Transmissão: 6 velocidades.
Sistema de Partida: Elétrico
Diâmetro x Curso: 75,0 x 56,5 mm
Relação de Compressão: 11.6 : 1
Sistema Alimentação: Injeção Eletrônica, PGM FI
Combustível: Gasolina

CHASSI
Tipo: Diamond Frame
Suspensão Dianteira/Curso: Garfo telescópico / 120 mm
Suspensão Traseira/Curso: Mono-Shock / 131 mm
Freio Dianteiro/Diâmetro: A disco/ 310 mm
Freio Traseiro/Diâmetro: A disco / 256 mm
Pneu Dianteiro: 120/70ZR 17M/C (58W)
Pneu Traseiro: 190/55ZR 17M/C (75W)

DIMENSÕES
Comprimento x Largura x Altura: 2117 x 789 x 1094 mm
Distância entre eixos: 1452 mm
Distância mínima do solo: 138 mm
Altura do assento: 830 mm
Peso Seco: 199 kg

CAPACIDADE
Tanque de Combustível: 16,1 litros
Óleo do Motor: 3,6 l. (2,7 litro p/ troca)

SISTEMA ELÉTRICO
Ignição: Eletrônica
Bateria: 12V - 8.6 Ah (10H)
Farol: LED

Experiente motocicista há mais de 30 anos, José Luiz é um designer amante das duas rodas e colabora com suas avaliações no Motoo

José Luiz Lazzari | http://www.jlldesign.com.br/