A linha CG da Honda representa a linha de motocicletas mais vendida do Brasil. Em 2017 foram emplacadas 229.360 unidades. O modelo 2018 traz duas novidades relevantes com foco na segurança. O sistema de freio CBS (Combined Braking Sytem – freios combinados) e SFF (Separated Function Fork – Garfos com Funções Separadas). Será que as novidades caíram bem na motocicleta? Nós do Motoo avaliamos a nova CG Titan e contamos para você nossas impressões!

Em primeiro lugar é interessante destacar que a Honda ofereceu uma unidade da CG Titan 160, que é a opção topo de linha dentro da gama e tem o valor sugerido de R$ 10.241. Com um motor mais forte de 162,7 cm³ e potência de 14,9 cv abastecido com gasolina ou 15,1 cv utilizando etanol, os valores são obtidos sempre a 8.000 rpm e, de uma maneira geral, a CG Titan 160 apresentou bom desempenho nas acelerações e na retomadas de velocidade. Seja no uso urbano ou na estrada, considerando percursos de curtas distâncias, a moto agradou no desempenho de maneira geral. O câmbio de 5 marchas oferece trocas suaves e trabalha bem em giros mais baixos do motor, não exigindo trocas constantes.

Na estrada, a CG 2018 até que vai bem, principalmente se levarmos em conta que ela é uma moto concebida para uso urbano. Com cuidado e respeitando seus limites, até que a veterana CG encara algumas viagens mais curtas de fim de semana. Com gasolina, registramos médias de consumo na casa de 40 km/l. Com a capacidade de 16,1 litros, a autonomia da CG fica na casa de 650 km. Com isso, as visitas ao posto de combustível são raras.

Novidades

As duas novidades na linha 2018 são os freios CBS, que passam a figurar em toda linha. Ele distribui de maneira equilibrada a frenagem entre as rodas traseira e a dianteira, oferecendo maior segurança e evitando acidentes, principalmente para os motociclistas iniciantes. A outra é o SFF (Separated Function Fork) nas bengalas dianteiras. De um lado está posicionada a mola e do outro o sistema hidráulico. Com isso, o conjunto reduz o atrito unilateral, o que contribui significativamente para o conforto da pilotagem, resultando em um manuseio leve e seguro da motocicleta.

Visual

Com aparência de uma moto de maior graças ao novo design da carenagem, a Titan chamou a atenção e agradou. O painel é todo digital, bem completo, e fornece boa visão das informações graças ao sistema “blackout”, que deixa o conjunto sempre aceso. Faltou o marcador de marcha, que particularmente é um item interessante para a equipe do Motoo. No geral, a impressão é que a CG ganhou um ar mais esportivo e de presença marcante.

Suspensão

A suspensão com dois amortecedores de 106 mm de curso deixa a moto macia e ela passa com tranquilidade pelas imperfeições do piso. Você vai passar sem sustos ou trancos por buracos, valetas ou demais obstáculos no caminho. A dianteira conta com garfo telescópico de 135 mm e o sistema SFF como falamos. Ponto positivo aqui!

Banco do Garupa - Nota: 9
“O tamanho do banco para a cilindrada da moto é perfeito. As alças ficam bem ao alcance da mão. A visão e a posição que o garupa encontram na CG também agradaram. As pernas ficam em posição confortável. No geral, senti conforto e segurança”. Alessandra B. Lazzari

A CG Titan 160 é o modelo topo da linha, como já mencionamos, e tem o maior preço, no caso R$ 10.241. Existe também, como opção, a CG Start 160, que sai por R$ 8.030. Em nossa opinião, a CG Titan vale o custo-beneficio. A moto avaliada aqui tem três opções de cores: Azul Perolizado, Vermelho Perolizado e Preto.

Em resumo, a CG Titan 160 entrega o que promete. Ela é uma moto que realmente você pode usar e abusar, sobrando disposição para o trabalho. Para o trânsito caótico da cidade, a CG 160 é um meio de transporte ideal, leve e fácil de pilotar!

 
 
Honda CG 160 2018
 
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
 
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
 
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
 
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
 
Honda CG 160 2018
Honda CG 160 2018
 
 

Ficha técnica

Motor: OHC, Monocilíndrico 4 tempos, arrefecido a ar.
Cilindrada: 162,7 cc
Potência máxima: 14,9 cv a 8.000 rpm (Gasolina) / 15,1 cv a 8.000 rpm (Etanol)
Torque máximo: 1,40 kgf.m a 6.000 rpm (Gasolina) / 1,54 kgf.m a 6.000 rpm (Etanol)
Transmissão: 5 velocidades
Sistema de partida: Elétrico
Diâmetro x Curso: 57,3 x 63,0 mm
Relação de Compressão: 9,5 : 1
Sistema de Alimentação: Injeção Eletrônica PGM FI
Combustível: Gasolina e/ou Etanol

Chassis: Diamond Frame
Suspensão dianteira/Curso: Garfo telescópico / 135 mm
Suspensão traseira/Curso: Dois amortecedores / 106 mm
Freio dianteiro/Diâmetro: A disco / 240 mm
Freio traseiro/Diâmetro: A tambor / 130 mm
Pneu dianteiro: 80/100 -18
Pneu traseiro: 100/80 -18

Dimensões: 2032 (comprimento) x 739 mm (largura) x 1087 mm (altura)
Distância entre-eixos: 1315 mm
Distância mínima do solo: 196 mm
Altura do assento: 790 mm
Peso seco: 117 kg

Tanque de combustível/Reserva: 16,1 litros
Óleo do motor: 1,2 litro

Ignição: Eletrônica
Bateria: 12V - 4 Ah
Farol: 35/35W

 

José Luiz Lazzari |

Veja mais notícias da marca