Se locomover de maneira rápida, fácil e livre pelas ruas das cidades. Esta é a proposta que os scooters oferecem e, por esse grande diferencial em sua proposta, figura como um dos modelos que mais cresceram no mercado nos últimos tempos. Pensando nisso, resolvemos avaliar o Honda PCX 150, scooter mais vendido do mercado brasileiro. Neste ano já foram emplacadas 18.464 unidades do modelo e, para descobrir as virtudes que fizeram dele um modelo tão procurado, realizamos algumas idas e vindas pelo trânsito carregado da cidade de São Paulo. Veja o que encontramos!

O motor monocilíndrico de 149,3 cc e 13 cv mostra força tanto na aceleração como nas retomadas de velocidade, garantindo saídas rápidas e seguras. Mesmo com garupa, a PCX não decepciona e foi bem inclusive em subidas mais íngremes.

A facilidade de pilotar é um ponto alto do scooter, realçada pela transmissão automática que dispensa qualquer necessidade de engates e trocas de marchas. Basta acelerar e sair curtindo. A posição de pilotagem é superconfortável e ainda conta com a possibilidade de deslocar os pés em duas posições.

A suspensão, considerando a proposta do PCX, mostrou-se bem eficiente. Os pneus de aro 14” ajudam a minimizar os impactos do piso irregular e aumentam a sensação de segurança. Os sistema de freios combinado CBS (Combined Break System) distribui a frenagem entre as rodas dianteira e traseira e reforça ainda mais a segurança do piloto, principalmente para os novatos.

Itens de tecnologia como o start-stop (chamado pela Honda de Idling Stop) colaboram muito para a economia de combustível e redução da emissão de gases poluentes. O sistema desliga o motor quando a moto está em marcha lenta por mais de 3 segundos e a religa automaticamente, bastando apenas acelerar. Uma vez que você se acostuma com esse sistema surge até uma sensação de que estamos, de fato, colaborando com o meio-ambiente ao parar no semáforo.

O novo conjunto ótico com iluminação de LED funciona muito bem e permite um bom campo de visão no uso noturno. O computador de bordo possui relógio e informa o consumo de combustível médio ou instantâneo. O cluster oferece boa visibilidade mesmo durante o dia e, no estilo geral, combina com o aspecto futurista da PCX.

O consumo reforça o fato de ser uma ótima opção de mobilidade urbana. Com uma tocada suave, chegamos a percorrer 43 km/l. Visitas a posto de gasolina são coisas raras e, com a capacidade de 8 litros do tanque de combustível, a autonomia fica próxima dos 340 km.

O visual da Honda PCX ainda é atraente e recebeu elogios da maioria das pessoas que consultamos. A PCX está disponível em 3 configurações: a opção de entrada que leva apenas o nome PCX ao preço sugerido de R$ 11.900 (disponível nas cores azul escuro perolizado ou prata Fosco); Sport como a avaliada aqui e tabelada em R$ 12.490 (oferecida na cor cinza metálico com grafismo vermelho e prata) e a DLX, que custa o mesmo preço da Sport, porém aposta em um visual mais refinado, com destaque para a cor Marrom Perolizado.

Banco do Garupa - Nota: 9,0

“O banco tem espuma macia e o formato mais largo do assento o deixa bem confortável. As alças para o garupa são grandes e bem localizadas, o que é muito bom pensando na segurança. O que mais agradou foi a poder sair da posição de garupa e pilotar com muita facilidade e segurança”. Opinião de Alessandra B. Bachini

 
 
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
Honda PCX 2019
 
Honda PCX 2019
Honda PCX 2019
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
 
Honda PCX 2018
Honda PCX 2018
 
 

Ficha técnica 

Motor: OHC, Monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a líquido
Cilindrada: 149,3 cc
Potência máxima: 13,1 cv a 8.500 rpm
Torque máximo: 1,36 kgf.m a 5.000 rpm
Transmissão: Tipo V - MATIC
Sistema de partida: Elétrico
Diâmetro x Curso: 57,3 x 57,9 mm
Relação de Compressão: 10,6:1
Sistema de Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI
Combustível: Gasolina
Ignição: Eletrônica
Bateria: 12 V – 5 Ah
Farol: LED
Tanque de combustível/Reserva: 8 Litros
Óleo do motor: 0,9 Litro

Dimensões
Comprimento x Largura x Altura: 1931 x 737 x 1103 mm
Distância entre eixos: 1315 mm
Distância mínima do solo: 138 mm
Altura do assento: 761 mm
Peso seco: 125 kg

Chassi 
Tipo: Monobloco (underbone)
Suspensão dianteira/Curso: Garfo telescópico / 100 mm
Suspensão traseira/Curso: Dois amortecedores / 85 mm
Freio dianteiro/Diâmetro: A disco / 220 mm
Freio traseiro/Diâmetro: A tambor / 130 mm
Pneu dianteiro: 90/90 – 14M/C
Pneu traseiro: 100/90-14M/C

 

José Luiz Lazzari |