Yamaha VMax sai de linha

Poderosa estradeira da marca dos três diapasões não resiste às normas Euro 5 de emissões e deixa de ser fabricada
Yamaha VMax 2020

Yamaha VMax 2020 | Imagem: Divulgação

Em 1985, a Yamaha VMAX surgiu como uma opção para quem buscava uma moto com visual de estradeira, mas a performance de uma esportiva. Enquanto ela reinou sozinha por mais de uma década, algumas montadoras notaram seu sucesso e ofereceram alternativas, como foi o caso de Harley-Davidson VRod, Triumph Rocket e, mais recentemente, a Ducati Diavel.

No mercado brasileiro, a musculosa estradeira deixou de ser oferecida ainda em 2017, quando a cotação do dólar em alta jogou seus preços para mais de R$ 130 mil. Enquanto sua vida continuou nos EUA, deixou de ser oferecida na Europa já por não atender às regras Euro 4 de emissões de poluentes. 

Porém, 2020 será o último ano de fabricação da Yamaha VMAX mundialmente. Com a entrada em vigor das restritivas normas Euro 5 criando mais dificuldades para as montadoras, a marca confirmou o fim da produção da moto, uma vez que não investirá em uma nova versão do propulsor V4 que atenda às regras novas e as vendas apenas no mercado norte-americano não são grandes.

Em sua última geração, a Yamaha VMAX lançava mão de um propulsor de quatro cilindros em V com 1.679 cm³ de capacidade e duplo comando de válvulas, sendo quatro por cilindro. Ele entregava nada menos que 200 cv de potência a 9.000 rpm e 17 kgfm de torque a 6.500 rpm. Além disso, havia uma função chamada de “V-Boost”, onde válvulas se abriam no coletor de admissão em altas rotações para criar um efeito similar ao de uma turbina entrando em ação.

Yamaha VMax 2020
Primeira Yamaha VMax foi lançada em 1985
Imagem: Divulgação
Assine a newsletter semanal do AUTOO!

Tudo sobre a Yamaha VMax

Yamaha VMax