Indiana Bajaj virá ao Brasil e já contratou ex-diretor da Harley nacional

Marca é uma das maiores do mercado de duas rodas por lá e possui parcerias com empresas como KTM e Triumph
Bajaj Pulsar 200

Bajaj Pulsar 200 | Imagem: Divulgação

A marca Bajaj pode até ser desconhecida dos brasileiros, mas a empresa indiana é uma das maiores do segmento de duas rodas naquele mercado, sendo responsável pelo desenvolvimento em parceria com a KTM de modelos de baixa cilindrada da Austríaca. Agora, ao que tudo indica, a Bajaj quer se estabelecer no Brasil em breve.

Em entrevista ao jornal indiano Financial Times, Rakesh Sharma, diretor da Bajaj, afirmou que a marca deve expandir significativamente seus negócios globalmente, incluindo o Brasil. Para isso, quer ter um modelo de negócios completo, indo desde a montagem das motos até estoque de peças de reposição localizado. A Bajaj é a maior exportadora de motos da Índia e cerca de 15% de tudo que sai de lá tem como destino países da América Latina, como Argentina, Colômbia e Equador.

Saiba mais: inédita KTM 250 Adventure estreará em breve

Bajaj Pulsar 200
Naked Pulsar 200 é uma das mais populares da Bajaj na Índia
Imagem: Divulgação

Apesar do volume alto destinado à região, a Bajaj nunca teve presença oficial no Brasil. Mesmo com o planejamento nos estágios iniciais, a Bajaj já anunciou a contratação de Waldyr Ferreira como chefe de operações. O executivo era diretor da Harley-Davidson para a América Latina até julho de 2020, quando se desligou da empresa norte-americana. 

Com uma produção localizada no Brasil, a marca indiana teria potencial para produzir aqui não só para nosso mercado, como também atender a demanda da região. Hoje, um dos modelos mais populares da Bajaj em sua terra natal é a Pulsar 200, naked com motor monocilíndrico de  199,5 cm³ de 24,5 cv de potência e torque máximo de 1,85 kgfm. Ela já traz de série itens como  freios a disco com sistema ABS. Na Índia ela custa 131.219 rúpias (cerca de R$ 9,9 mil).

A linha da marca compreende desde modelos de entrada como a CT 100, com motor de 102 cm³, 7,9 cv de potência e custando 44.890 rúpias (R$ 3,4 mil), e vão até a Dominar 400, naked com motor monocilíndrico de 373,3 cm³ e arrefecimento a líquido. Nesse caso, o propulsor é compartilhado com a linha 390 da KTM, entregando 40 cv de potência e 3,5 kgfm de torque. Seu preço inicial por lá é de 196.890 rúpias (R$ 14,9 mil).

Assine a newsletter semanal do AUTOO!