Oficial: Volkswagen não colocará Ducati à venda, nem Lamborghini

Após reunião com executivos e investidores, marca italiana permanecerá como parte integrante do conglomerado automotivo
Ducati Diavel 2021

Ducati Diavel 2021 | Imagem: Divulgação

A Ducati faz parte do Grupo Volkswagen desde 2012 e foi isso que garantiu à marca italiana o fôlego para renovar sua linha, trazendo modelos como a Scrambler e a Diavel. No entanto, a  VW vem lutando financeiramente por conta de pesadas multas que recebeu na Europa em decorrência de fraudes em testes de emissões de poluentes.

Na matriz, o foco é na eletrificação de veículos e poderia não fazer mais sentido ter uma fabricante de motocicletas de alta performance sob sua administração. Ao longo de 2020, rumores surgiram em diversas fontes na Europa dizendo que a Volkswagen estava buscando investidores que tivessem a capacidade de assumir a Ducati junto à fabricante de esportivos Lamborghini e ao estúdio de design Italdesign.

Houve um tempo em que os três grandes grupos automotivos alemães (VW, BMW e Mercedes-Benz) tinham alguma atuação no setor de duas rodas. A BMW tem a divisão Motorrad, enquanto a Mercedes já foi acionista da MV Agusta. No entanto, após uma reunião entre executivos e investidores, o Grupo Volkswagen emitiu um comunicado afirmando que “há um consenso entre os executivos de que Lamborghini e Ducati permanecerão como parte integrante do Grupo Volkswagen”. 

A sinergia entre as duas marcas italianas dentro da VW é tão grande que, no final de novembro, a Ducati anunciou uma série especial da Diavel chamada de “Diavel 1260 Lamborghini”. A moto recebe um visual mais agressivo, com fibra de carbono em peças como coletor de admissão, capa do radiador, paralamas, na porção central do tanque, protetor do escape e no entorno do farol. O visual é inspirado no Lamborghini Siàn FKP, primeiro modelo híbrido da empresa.

Ducati Monster 2021
Ducati Monster 2021
Imagem: Divulgação
Assine a newsletter semanal do AUTOO!