Primeira Triumph "indiana" atrasou para 2023

Parceria da britânica com a Bajaj dará origem a modelos de porte intermediário para o mercado daquele país
Triumph

Triumph | Imagem: Divulga�§�£o

A vida da gigante indiana Bajaj foi movimentada em 2020. A marca iniciou o ano passado realizando um acordo com a Triumph para o desenvolvimento em conjunto de novas motos. Em junho, a empresa contratou um ex-executivo da Harley-Davidson no Brasil e confirmou que deve começar a operar por aqui em 2022.

A parceria da Triumph com a Bajaj envolverá a criação de uma nova plataforma de motores para cobrir os mercados de baixa e média cilindradas, importante na Índia e que a Triumph tem pouca cobertura com a sua atual linha de motocicletas. Além disso, ambas serão parceiras globais na distribuição de seus produtos. No entanto, informações obtidas pelo Indian Autos Blog revelaram que a pandemia atrasou o lançamento das operações conjuntas de 2022 para 2023.

A Triumph teria como objetivo principal expandir seu alcance global, oferecendo uma nova opção no segmento de médio porte e, especificamente, um novo produto de entrada para mercados emergentes, como a Índia e até mesmo o Brasil. Para Bajaj, a oportunidade é a de se estabelecer melhor nos segmentos premium de média cilindrada, onde encontra dificuldades com sua atual linha de produtos focada nos mercados de entrada.

A nova plataforma desenvolvida em conjunto deverá dar suporte para modelos com cilindrada variando entre 200 cm³ e 750 cm³.  Especula-se ainda que as versões mais baratas dessa nova moto sigam o que já é oferecido na Índia por marcas internacionais com motos desenvolvidas em parceria com fábricas indianas, como a KTM (com a própria Bajaj) e a BMW (com a TVS). Assim, a expectativa é a de que a nova “Triumph-Bajaj” custe cerca de 200.000 rúpias indianas, ou cerca de R$ 12,9 mil na conversão direta.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!