Produção de motos sobe mais de 50%, mas poderia ser melhor se não fosse a ômicron

Primeiro mês de 2022 teve 83.696 unidades feitas em Manaus, mas demanda por motos de baixa cilindrada e scooters não conseguiu ser atendida por efeitos da Covid-19
Honda CG 160 Start

Honda CG 160 Start | Imagem: Divulgação

A produção de motos em janeiro de 2022 foi 56,6% superior a do mesmo mês de 2021. O volume de 83.696 unidades ficou bem acima das 53.631 motocicletas de um ano antes, mas o setor ainda foi impactado pela variante ômicron da Covid-19, segundo a associação das fabricantes, a Abraciclo divulgou nesta quinta-feira (10).

Em relação a dezembro (76.359 unidades), a alta registrada foi de 9,6%. "A nova onda de contaminações pelo coronavírus, provocada pela variante Ômicron, provocou falta de muitos colaboradores nas fábricas e comprometeu o ritmo das linhas de produção. Felizmente não houve nenhuma paralisação como aconteceu no ano passado”, explica o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian. 

Com esse fato, a produção não conseguiu atingir a demanda de compra por modelos de baixa cilindrada e scooters, disse a entidade. 

Exportações em queda anual

Em janeiro, as exportações de motos totalizaram 3.328 unidades, o que representa alta de 1,4%, na comparação com dezembro (3.283 motocicletas). No entanto, em relação a janeiro de 2021, a setor apresentou queda de 14,8% (3.904 unidades).