Scooter Elite 125 cresce nas vendas em 2021

Modelo de entrada da Honda já se aproxima do volume de emplacamentos da irmã PCX
Honda Elite 125 2021

Honda Elite 125 2021 | Imagem: Divulgação

Lançada em 2018 como uma opção mais acessível de scooter, a Elite 125 tem tido uma carreira de razoável sucesso até aqui. Mas o modelo da Honda passou a ganhar volume de emplacamentos nos últimos meses e já anda fazendo sombra à irmã mais potente, a PCX.

Na primeira quinzena de agosto, a Elite tinha acumulado 1.047 emplacamentos, apenas 64 unidades a menos que a PCX. O volume de vendas a deixou provisoriamente na 10ª colocação até aqui, uma posição de respeito num ranking tão disputado.

Este mês, no entanto, não é uma exceção. Desde maio, a Elite 125 empreende uma recuperação após um início de ano fraco, possivelmente reflexo da suspensão da produção da Honda em Manaus.

Naquele mês, a scooter da Honda já se aproximava da potente NMAX em número de emplacamentos. Em junho a Elite atropelou a Yamaha (2.169 contra 1.392) e no mês passado ampliou a diferença: 2.408 unidades contra 1.491 da NMAX).

No acumulado do ano, no entanto, ainda há uma boa distância entre elas. Enquanto a PCX reina absoluta entre as scooters, com quase 17 mil motos vendidas, a NMAX tinha pouco mais de 12,8 mil até aqui. A Elite 125, por sua vez, estava perto de 11,1 mil unidades emplacadas.

Se continuar nesse ritmo, a scooter da Honda deverá desbancar a NMAX até o final do ano e fazer dobradinha com a PCX, o que já será uma enorme conquista. Mais barata que sua rival direta, a Neo 125, a Elite custava a partir de R$ 9.650 em agosto de 2021.

Elite 125, Vision 110 e Biz 110i
Vendas da Elite 125, PCX e NMAX
Imagem: MOTOO

Tudo sobre a Honda Elite 125

Honda Elite 125