Yamaha antecipa futuro elétrico de suas motos

Fabricante anunciou a revisão do plano de metas ambientais de 2050 nesta segunda-feira
Yamaha Ec-05 2019

Yamaha Ec-05 2019 | Imagem: Divulgação

A Yamaha decidiu revisar seu plano de redução de emissão de CO2 anunciado em 2018. A fabricante japonesa manteve a meta de buscar a neutralidade do carbono até 2050, mas estabeleceu objetivos mais próximos em 2030 e 2035.

Segundo a marca, os planos serão acelerados com a redução das emissões até a metade dos valores atuais em 2030 no caso da atividade direta da produção.

Já as emissões da chamada “cadeia de valor” da Yamaha deverão ser reduzidas em 24% até 2030 e 38% em 2035, com uma redução adicional para 90% em 2050.

Na prática, esses objetivos serão atingidos não só por estratégias que envolvem a produção, matérias-primas e descarte, mas sobretudo por uma nova linha de produtos mais sustentáveis. Em outras palavras, elétricos.

Embora não revele detalhes, o comunicado cita “novas formas de mobilidade exclusivas da Yamaha Motor, além de programa de assinatura de motocicletas”.

A Yamaha E01 ainda como conceito em 2019
A Yamaha E01 ainda como conceito em 2019
Imagem: Divulgação

As novas metas estão alinhadas com os cronogramas de redução de emissões da União Europeia e do Reino Unido, ou seja, trata-se de mais uma empresa do setor a aderir a essa fundamental transformação da indústria.

A Yamaha tem avançado com seu plano de eletrificação, que inclui o acordo com outras concorrentes para a adoção de baterias intercambiáveis e o desenvolvimento de um potente motor de 475 cv. A marca também já introduziu scooters elétricas em alguns mercados no exterior como a EC-05, e está perto de iniciar a produção da E01.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!