PCX ou NMax: será que o Yamaha renovado supera o Honda?

Scooter da marca dos três diapasões ganhou nova geração e, no papel, se põe em pé de igualdade com o rival
Honda PCX e Yamaha NMax de nova geração

Honda PCX e Yamaha NMax de nova geração | Imagem: Motoo

Com o segmento dos scooters em alta, mais lançamentos chegaram ou estão para chegar ao mercado brasileio. A Honda já apresentou o novo ADV, enquanto o inédito Forza 350 deve desembarcar por aqui em 2021. Por outro lado, a Yamaha estreou a nova geração do NMax 160 por aqui para apimentar a briga com seu principal rival: o Honda PCX.

Com a renovação, é importante saber o que cada um traz em termos de mecânica e equipamentos. Enquanto o Yamaha NMax 160 é oferecido em versão única, optamos por trazer a configuração mais parelha em preço do rival da Honda, a versão PCX Sport ABS. Assim, ambos oferecem freios ABS de série.

Yamaha NMax 2021
Yamaha NMax 2021
Imagem: Divulgação

Preços (sem frete):
Honda PCX Sport ABS: R$ 14.410
Yamaha NMax 160: R$ 14.990

Mecânica:
Honda PCX Sport ABS
Motor: monocilíndrico, OHC 2 válvulas, arrefecimento a líquido
Cilindrada: 149,3 cm³
Potência: 13,2 cv
Torque: 1,38 kgfm
Alimentação: injeção eletrônica
Partida: elétrica
Câmbio: automático CVT
Tanque: 8 litros
Peso a seco: 126 kg

Yamaha NMax 160
Motor: monocilíndrico, OHC, 4 válvulas com comando variável, arrefecimento a líquido
Cilindrada: 155 cm³
Potência: 15,4 cv
Torque: 1,40 kgfm
Alimentação: injeção eletrônica
Partida: elétrica
Câmbio: automático CVT
Tanque: 7,1 litros
Peso líquido: 131kg

Honda PCX 2020
Honda PCX 2020: à esquerda, versão Sport. À direita, a DLX. Ambas se diferenciam apenas pelas cores
Imagem: Divulgação

Equipamentos de série

Honda PCX Sport ABS: partida elétrica, rodas de liga leve de 14 polegadas, painel de instrumentos digital, freios a disco na dianteira e na traseira (220 mm), ABS, start/stop (Idling Stop), trip A e B, relógio, marcador de combustível, marcador de consumo, tomada 12V no escudo, iluminação por LEDs e chave presencial.

Yamaha NMax 160: partida elétrica, rodas de liga leve de 13 polegadas, painel de instrumentos digital, freios a disco na dianteira e na traseira (230mm), ABS, start/stop, trip A e B, relógio, marcador de combustível, marcador de consumo, tomada 12V ao lado do painel, iluminação por LEDs e chave presencial.

Suspensão
Honda PCX Sport ABS
Dianteira: garfo telescópico, 100 mm de curso
Traseira: duplo amortecedor, 100 mm de curso
Pneus: 100/80 R14 (frente) / 120/70 R14 (traseira)

Yamaha NMax 160
Dianteira: garfo telescópico, 100 mm de curso
Traseira: duplo amortecedor, 86 mm de curso
Pneus: 110/70 R13 (frente) / 130/70 R13 (traseira)

Conclusão

Enquanto os preços de Honda PCX Sport ABS e Yamaha NMax 160 são similares, o último passou a contar com mais equipamentos de série e ficou bastante parelho nesse quesito com o rival, o que não acontecia antes. As rodas maiores, de 14 polegadas e a suspensão com um pouco mais de curso no PCX, mostram mais preparo para uso convencional urbano em vias mal pavimentadas.

Por outro lado, a Yamaha manteve a aposta na mecânica. Com o comando variável das quatro válvulas (duas no PCX), o motor provê uma potência consideravelmente mais elevada. Ela também tem pneus mais largos e freios maiores. Juntando a isso uma lista de equipamentos similar, a chance da estreante roubar mais vendas do scooter mais vendido no Brasil cresceram, mesmo sendo mais caro.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!

Tudo sobre a Honda PCX

Honda PCX